#infinity

foi o nome escolhido para o projeto que a Inframoura, em parceria com o Loulé Design Lab* submeteu ao Fundo Ambiental na categoria de Produção e Consumo Sustentáveis. A seleção do projeto no top 10 a nível nacional permitiu o financiamento para o concretizar!
* incubadora integrada no projeto Loulé Criativo, da Câmara Municipal de Loulé

O projeto consiste no reaproveitamento pelos Designers e Makers do Loulé Design Lab, dos resíduos que a Inframoura recolhe diariamente. Estes resíduos terão uma nova vida, em ações que vão desde a renovação de mobiliário ao desmantelamento de monos para usar as matérias-primas, passando pela utilização de resíduos naturais das podas das áreas verdes de Vilamoura e Vila Sol. A missão maior é reintroduzir estes objetos em suposto fim de vida, de volta na vida das pessoas, na economia, e principalmente, ao serviço de instituições de solidariedade social.

O que é a economia circular?

Este conceito, que assenta na #redução, #reutilização, #recuperação, #renovação e #reciclagem de materiais inspirou-se nos mecanismos dos ecossistemas naturais que gerem os recursos a longo prazo num processo contínuo de reabsorção e reciclagem.
O foco é agora na preservação e valorização do capital natural e na minimização de desperdícios.
Neste conceito a palavra “eliminação” não existe, tudo tem que ser pensado como um ciclo fechado em toda a cadeia como valor:

Na Conceção/design » projetar para vários ciclos de vida, economicamente viáveis e ecologicamente eficientes. Pensar para durar mais e utilizar menos recursos.
Na Produção » mais limpa, limita-se a utilização de substâncias tóxicas, promove-se a eficiência energética e de materiais, identificam-se novas utilizações para subprodutos.
Na Distribuição » criar novas formas de distribuição conjunta e limitar e reutilizar o sobre-embalamento, privilegiando os ciclos curtos.
No Uso » maximizar a vida útil do produto e otimizar para a reparação e reutilização.

O nosso processo

Para implementar o projeto, planificamos
várias fases:

Numa 1ª fase, tivemos um primeiro encontro nos estaleiros da Inframoura, para conhecer não só a equipa da recolha dos resíduos e a tipologia dos monos, como também os materiais que são habitualmente recolhidos. Paralelamente, identificámos três Instituições de Solidariedade Social do concelho de Loulé, com o apoio do Departamento de Desenvolvimento Social e Saúde da CML nas áreas da infância, sénior e demência, que visitámos com vista ao levantamento das necessidades das mesmas.
Com base nestes encontros foi possível aos designers e makers selecionarem possíveis projetos para desenvolvimento.

Na 2ª fase, demos início ao processo criativo para o desenvolvimento das ideias e criámos metodologias com as equipas da Inframoura. Utilizámos algumas plataformas digitais para mantermos a comunicação entre os grupos de trabalho, nomeadamente sobre a oferta e a procura de materiais que fossem surgindo.

Na 3ª fase, após a realização dos projetos em desenho e em protótipos, foi necessária uma segunda ronda de encontros com todos os parceiros para avaliação e confirmação.

E por fim a 4ª fase, onde depois de validadas as ideias e protótipos, demos início à produção dos projetos. A mesma foi sempre acompanhada pelo permanente contacto com as equipas de recolha da Inframoura que foram dando, de forma célere, resposta às necessidades concretas de materiais e ou objetos, que foram surgindo junto dos criativos.

A equipa

A concretização do projeto Infinity foi possível pelo trabalho conjunto das equipas da Inframoura, do Loulé Design Lab e das instituições parceiras – Lar Casa do Povo do Ameixial, Fundação António Aleixo e Associação Humanitária de Doentes de Parkinson e Alzheimer

Equipas da Inframoura e do Loulé Design Lab

André Silva Sancho
BlowPlastic
andresilvasancho@gmail.com

Leni Farenzena
For Nature Design
fornaturedesign@gmail.com

Gonçalo Gama
G Gama Design
sims1099@gmail.com

Gustavo Arguello e Carla Martins
Martins Arguello Design Studio
gustavo@martinsarguello.com

Marta Lourenço
PURE belovedbynature
belovedbynature@gmail.com

Sandra Neto
Mess
messmat.pt@gmail.com

Verónica Guerreiro e Paulo Tomé
PidutournéeDesign
vrevez@gmail.com

O vocabulário do Infinity

São conceitos parecidos mas diferem em pequenos detalhes, indispensáveis na linguagem corrente da economia circular e também no processo de trabalho das equipas do Infinity:

#reparar » mantém-se a função mas os materiais e componentes podem mudar (reparando avarias e fazendo a manutenção).
#reutilizar » mantém-se a forma e materiais, utilizando bens que já foram usados.
#recondicionar » restaura-se um produto antigo atualizando-o.
#remanufaturar » aproveitam-se componentes de um produto descartado, integrando-as no fabrico de um novo produto similar.
#redirecionar ou #realocar » aproveitam–se produtos ou componentes descartados, integrando-os no fabrico de novos produtos com uma nova função.
#restaurar » mantém-se a função, os materiais e componentes como eram na sua origem.

Compostagem e Regeneração

O projeto Infinity é na sua génese um projeto de economia circular, ao reintroduzir na cadeia de valor, objetos descartados que antes contribuiriam para o aumento da acumulação de resíduos.

A compostagem ou o acto de compostar é de grande importância para o projeto, uma vez que espelha, na prática, o conceito da economia circular.

Se percebermos como funciona a compostagem então percebemos o que é, e como funciona, a economia circular.

Compostar transforma matéria orgânica doméstica em composto orgânico que é utilizado para melhorar as propriedades do solo e a saúde das plantas, replicando o ciclo da vida na natureza. Se aplicarmos este conceito na economia circular falamos então de regeneração de produtos e materiais, em que “nada se perde, tudo se transforma”.